PESQUISA DE PÓS-DOUTORADO NA UFPE: “POLÍTICA NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL E TERRITORIAL INDÍGENA: AVALIAÇÃO COMPARADA DO PROJETO GATI NAS TERRAS INDÍGENAS CAIÇARA/ILHA DE SÃO PEDRO, SERGIPE E ENTRE SERRAS PANKARARU, PERNAMBUCO”  (CONCLUÍDA 03/2019)

 

Dr. Avelar Araújo Santos Junior

(Instituto Pangea)

 

Descrição: Este projeto de pesquisa de pós-doutoramento teve como objetivo deslindar os elementos estruturantes das relações socioespaciais que dinamizam a luta pela efetivação dos direitos territoriais dos povos indígenas Xokó, da Terra Indígena (TI) Caiçara/Ilha de São Pedro (SE), e, Pankararu, da TI Entre Serras Pankararu (PE), ambas no bioma da Caatinga e inseridos na bacia hidrográfica do rio São Francisco apontadas no Projeto "Pensando Gestão Ambiental e Territorial com Povos Indígenas da Caatinga e Cerrado" (Projeto GATI) das TI’s Caiçara/Ilha de São Pedro e Entre Serras Pankararu”

 

HISTÓRIA E MEMÓRIA DAS COMUNIDADES NEGRAS E OCURRÍCULO ESCOLAR NO MUNICÍPIO DE ITAETÉ – BA – APORTES À UMA EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA, À LUZ DA LEI Nº 10.639/03

 

Me. Carleandro de Souza Dias

 

Partindo de reivindicações locais, o projeto busca compreender como a história oral das comunidades negras e suas sócio territorialidades se refletem enquanto instrumentos formativos, transformadores e pedagógicos nas salas de aula e instâncias relacionadas à Educação no município de Itaeté, Chapada Diamantina, Bahia. Busca-se analisar práticas pedagógicas que respeitem a Lei 10639/03 que estabelece a obrigatoriedade do ensino da História e Cultura africana e afro brasileira, conexões, interfaces, rupturas e aproximações com a história dos negros no território.(Planejamento)

 

ESTUDO DA ATIVIDADE INSETICIDA DE GEL PRÓPOLIS E POLÍMERO NATURAIS NO CONTROLE DE CONTROLE DA TRAÇA DOS CEREAIS E DO GORGULHO NO MILHO

 

Dr. Carlos Alberto Batista dos Santos

 

O milho Zea mays L. é uma cultura rústica do trópico semiárido, úmido e subúmido, sendo cultivada principalmente por pequenos agricultores nas regiões nordeste e norte do país onde consistem de fontes de proteína e carboidratos vegetais para a população, e alternativas sociais e econômicas de suprimento alimentar e geração de emprego, especialmente para as populações rurais. Dentre os fatores limitantes ao seu cultivo destacam-se as pragas e, dentre estas, o gorgulho Sitophilus zeamais Mots. 1885 (Coleoptera, Curculionidae) e o gorgulho Sitotroga cerealela Olivier, 1819 (Lepidoptera, Gelechiidae). Este trabalho visa avaliar a atividade inseticida de geoprópolos e polímero naturais no controle de pragas do milho em condições de laboratório. As amostras de geoprópolis a serem utilizadas no experimento serão obtidas do meliponário localizado na Universidade do Estado da Bahia,Campus III, município de Juazeiro-BA (9°25?16,5?S; 40°29?02,5?O), coletadas diretamente das caixas de abelha mandaçaia (Melipona mandacaiaSmith, 1863) Para avaliação da atividade antioxidante dos extratos de geoprópolis, será utilizado o método fotocolorimétrico in vitro do radical livre DPPH (2,2-difenil-1-picrilhidrazil) e (padrão ácido ascórbico) descrito por Mensor et al. (2001).

 

ETNOICTIOLOGIA DOS PESCADORES TRADICIONAIS NA REGIÃO DO SUB MÉDIO SÃO FRANCISCO - LENDAS, MITOS E BICHOS: OS ANIMAIS NA CULTURA POPULAR DO HOMEM SERTANEJO NO SEMIÁRIDO NORDESTINO.

 

Dr. Carlos Alberto Batista dos Santos

 

Este trabalho visa avaliar a atividade inseticida de óleos essenciais obtidos de plantas da flora nordestina contra os gorgulhos do milho em condições de laboratório e casa de vegetação. A ação inseticida direta dos óleos, será avaliada diluindo-se os OEs em Tween 20 na proporção de 1:1. Os testes serão realizados em placas de Petri (90 mm x 10 mm) contendo papel filtro com tamanho de 63,62 cm2, sobre o qual serão aplicados 1 mL de cada solução e em seguida liberando-se os insetos. As avaliações serão feitas após 24 e 48 horas pela contagem do número de indivíduos mortos e cálculo das Concentrações Letais 50 e 99 (CL50 e CL99) através da análise de Probit.

 

CIDADANIA, CONFLITOS E IDENTIDADES: AS POLÍTICAS DE AÇÕES AFIRMATIVAS NA UNIVERSIDADE.

 

Me. Dorival Pereira Oliveira (Doutorando UFS)

 

Este projeto tem como objeto de estudo o reconhecimento dos estudantes universitários cotistas da Universidade  do Estado da Bahia (UNEB) em Paulo Afonso, Bahia. Busca-se aqui compreender o processo de reconhecimento desses estudantes admitidos na universidade por meio de políticas afirmativas, relacionando essas ações políticas com prováveis transformações sócio estruturais na realidade desses coletivos. Mais precisamente, esta pesquisa busca entender o auto reconhecimento desses sujeitos, perpassando pelas transformações identitárias ao longo desse processo, como também, pelas relações entre a execução das políticas de ação afirmativa, o movimento negro, e o papel do Estado, na condução e  incorporação dos direitos das minorias. Pretende-se  compreender se esta política compensatória alterou, ou não, as desigualdades sociais relacionadas a esses sujeitos. Ainda se objetiva aqui, verificar se tais processos de reconhecimento fortaleceram a identidade coletiva, bem como articularam, ou mesmo, vincularam o negro no seio da universidade e da luta política.

 

TUXÁ DE RODELAS: UMA HISTÓRIA DE EXPROPRIAÇÃO, RESISTÊNCIA E AS LUTAS DO POVO PELO TERRITÓRIO ANCESTRAL.

 

Esp. Júnior Tyhú Jurum Tuxá (Dorival Vieira Almeida) 

Pesquisador Indígena

 

A pesquisa tem por objetivo apresentar o povo Tuxá de Rodelas, compreendendo o processo de luta e resistência diante da sociedade envolvente, os impactos e as violações de direitos que as políticas indigenistas e os projetos de “desenvolvimento” afetaram esse povo indígena, principalmente o direito ao território tradicional. Pretende-se destacar as políticas indigenistas no século XX e a ausência do Estado diante das questões indígenas, a história de expropriações, lutas e resistências da nação Tuxá, destacando o grande esbulho territorial no final da década de 1980, quando tiveram, mais uma vez, que deixar seu território sagrado, agora diante da construção da barragem de Itaparica e o processo de autodemarcação do Território Ancestral Dzorobabé.

 

SAÚDE, CULTURA E MEIO AMBIENTE: UMA INVESTIGAÇÃO ETNOPARASITOLÓGICA ENTRE COMUNIDADES INDÍGENAS DE PAULO AFONSO – BAHIA.

 

Me. Deyvison Rhuan Vasco dos Santos

 

O projeto tem por finalidade Investigar se fatores culturais e ambientais exercem influência no estado de saúde parasitológico dos indígenas da cidade de Paulo Afonso - Bahia, considerando que trabalhos em etnoparasitologia são escassos na literatura, sendo poucos os estudos publicados. Assim, o presente estudo trará novos dados e elementos para compreensão desta recente área, propondo novos vieses de análises e reflexões, além valorizar e difundir os saberes médicos indígenas.

 

AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NA CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA DOS SUJEITOS DA ESCOLA DO CAMPO. (CONCLUÍDA 2018 COM PUBLICAÇÃO DE CAPÍTULO DE LIVRO 2019)

Pesq. Junior. Denise Oliveira de Souza

 

Esta pesquisa tem como principal objetivo analisar as representações sociais, de docentes e discentes, em uma  Escola do Campo, que afirmam os processos identitários dos sujeitos, em seu contexto de origem. Assim, trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, por entender as subjetividades e representações, bem como, por compreender a realidade envolvida na perspectiva da Teoria das Representações Sociais.

 

PENSAR E IMPLANTAR A FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DA UNEB/ ESCOLAS EM PAULO AFONSO-BA,

 

Esp. Edjane Gomes de Souza  Soares

 

Refletir sobre as possibilidades necessárias do professor investir em uma formação que lhe permita oferecer mais conhecimentos através de uma qualificação compreendida e eficaz para seu desenvolvimento.; reconhecer o educador enquanto sujeito de subjetividade, respeitando-o como sujeito do fazer pedagógico e possibilitando-o ressignificar a sua práxis; descontruir conceitos segregacionistas entre os professores de educação básica e superior, viabilizar mais propostas para que possam trabalhar em conjunto, pensando não somente em suas carreiras, mas, antes de tudo, no papel que exercem na sociedade, indispensáveis para a construção do conhecimento e, atribuir novas percepções à formação continuada a fim de viabilizar uma melhor preparação docentes para dar enfrentamento ao processo ensino-aprendizagem. Este projeto contará com a participação de estudantes das licenciaturas em Pedagogia/ Saberes Indígenas.

 

PESQUISAS ARQUEOLÓGICAS NA SERRA DO ESPINHAÇO SETENTRIONAL E VALE DO RIO PARAMIRIM

 

Me. Fátima Cristina da Silva Oliveira

 

O projeto Pesquisas Arqueológicas na Serra do Espinhaço Setentrional e Vale do Rio Paramirim tem como principal objetivo realizar investigações arqueológicas nos sítios pré-coloniais identificados na área de confluência do Vale do Rio Paramirim com a porção Setentrional da Serra do Espinhaço, mais especificamente no município de Boquira BA. A pesquisa pioneira pretende levantar dados iniciais a respeito da ocupação humana pretérita no local, tendo como principal ferramenta intervenções de sub superfície e coleta de possíveis materiais arqueológicos que auxiliaram na interpretação dos depósitos em questão. O projeto pretende fomentar pesquisas desta natureza no sudoeste baiano, assim como ofertar atividades de campo para os graduandos do Bacharelado em Arqueologia da UNEB campus VIII.

 

MAPEAMENTO DOS ABUSOS AOS DIREITOS INDÍGENAS NO NORDESTE DO BRASIL

Me. Felipe Sotto Maior Cruz (Doutorando UNB)

Pesquisador Indígena

 

A reação contra os movimentos sociais indígenas está levando a extensas violações dos direitos humanos indígenas. MAPEAMENTO DOS ABUSOS AOS DIREITOS INDÍGENAS NO NORTESTE DO BRASIL é subprojeto dentro do Projeto o desenvolvimento ‘sustentável’ e atmosferas de violência: experiências de defensores do meio ambiente para estabelecer uma nova rede Sussex – Brasil focada no monitoramento participativo das violações dos direitos humanos dos povos indígenas no Nordeste do Brasil cujo objetivo é  criar um Observatório de Violações de Direitos Indígenas coma colaboração de  estudantes e pesquisadores indígenas baseados em universidades públicas da Bahia, no Brasil. Nosso projeto incluirá treinamento para estudantes indígenas, em SIG /mapeamento e na construção de uma plataforma online para monitorar violações de direitos. Trabalharemos com as comunidades indígenas para analisar a situação atual e propor soluções que abordem as ameaças ao seu bem-estar econômico e social. Os resultados serão integrados em uma plataforma on-line que mapeia violações de direitos e a coautoria de um artigo em um jornal acadêmico.

 

A TRAJETÓRIA DAS POPULAÇÕES AFRICANAS  PELO OCEANO ATLÂNTICO  E A RE-CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE ÉTNICA NO NORDESTE BRASILEIRO      

 

Me. Floriza Maria Sena Fernandes

 

O objetivo desta Pesquisa é contribuir a partir das vertentes teóricas antropológicas de forma mais qualitativa na linha de investigação sobre a trajetória das populações africanas pelo Oceano Atlântico e sua re-construção da identidade étnica em território brasileiro.  Neste sentido o projeto de Pesquisa se insere no campo dos estudos sobre processos identitários e de territorialização das comunidades afrodescendentes durante e após a escravidão negra no Brasil. Para tanto procura analisar desde a Trajetória dos Negros Africanos via Atlântico Sul a partir dos fluxos econômicos com o tráfico de escravos realizado pela Europa no século XVII, até o processo de territorialização e reconstrução de uma identidade cultural e política recorrendo à memória ancestral nas Comunidades Quilombolas no sertão baiano. (Planejamento)

 

HISTÓRIA INDÍGENA, ICONOGRAFIA E BRICOLAGENS DIDÁTICAS

 

Dr. Francisco Alfredo Morais Guimarães

 

O projeto apresenta uma proposta de estudo e ação pedagógica sobre o tratamento da temática indígena em Livros Didáticos Nacionais de História, dando ênfase ao estudo da representação indígena na iconografia e a produção de bricolagens didáticas. O foco da análise e ação pedagógica busca contribuir com o que determina a lei 11.645/08 em relação ao ensino de história e cultura indígena na Educação Básica.

 

A CIÊNCIA DE PANKARARÉ: UM ESTUDO SOBRE A FORÇA DOS TOANTES NA IDENTIDADE DO POVO INDÍGENA PANKARARÉ

 

Esp. Elaine Patricia de Souza Oliveira ATIKUM

( Pesquisadora Indígena)

 

A Ciência de Pankararé: Um Estudo sobre a força dos Toantes na Identidade do Povo Indígena Pankararé, consiste na análise cosmológica da relação que o Povo tem com o sistema da natureza, o que para eles é considerado sagrado. Na ritualidade indígena, os elementos símbolos possuem história e tradição, com um arcabouço de ensinamentos oferecidos pela Ciência, que dão sustentação no modo de viver da comunidade e criam forma de resistência física e cultura na identidade indígena.

 

ENTRE LUTAS, HISTÓRIAS E MOVIMENTOS: EXPERIÊNCIAS NO MAGISTÉRIO INDÍGENA DA BAHIA.

 

Me. Jucimar Pereira dos Santos (Doutorando UNISINOS)

 

Compreender o processo histórico da educação escolar indígena escolar do Povo Kiriri, como parte do seu movimento de reafirmação étnica, entremeado por lutas pela reconquista do território tradicional e participação no Movimento Indígena Nacional da década de 1970.

 

MAPEANDO A UTILIZAÇÃO DAS TDIC NA ESCOLA ESTADUAL INDÍGENA CAPITÃO FRANSCISCO RODELAS

 

Pesq. Junior: Jéssica Caroline Azevedo Araujo 

 

Realizar um mapeamento sobre a utilização das TDIC na escola Estadual Indígena Capitão Francisco Rodelas situada no município de Rodelas - Bahia, de modo a identificar os principais instrumentos utilizados pelos professores durante as aulas, bem como analisar a maneira que tais docentes se apropriam das TDIC para planejar e executar as atividades junto aos alunos.

 

INTERCULTURALIDADE NO ENSINO DE FÍSICA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: A CONSTRUÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

Dr. Leonardo Diego Lins

 

Constitui uma reflexão acerca do papel do ensino da Física no contexto escolar indígena e da elaboração de um material didático intercultural da disciplina, balizado pela teoria de aprendizagem significativa de David Ausubel.

 

JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA ESCOLA INDÍGENA PATAXÓ GUAXUMA.

Dr. Leonardo Diego Lins

 

Construção de jogos matemáticos e tabuadas triangulares, utilizadas como suporte pedagógico no ensino de matemática nas séries do ensino fundamental I e II.

 

PROJETO DE PESQUISA ARQUEOLÓGICA NO COMPLEXO PAULO AFONSO NOS POVOADOS DE MALHADA GRANDE, RIO DO SAL, LAGOA DAS PEDRAS E XINGOZINHO/BA.

 

Drª. Maria Cleonice Vergne

 

O presente projeto abrange a área Complexo Arqueológico de Malhada Grande, localizada no município de Paulo Afonso, BA. Apesar do enfoque acadêmico-científico relacionado à gestão e manejo dos patrimônios arqueológico e paisagístico, compreende-se que o maior patrimônio é o humano, assim o público alvo é a comunidade local, que encontra na quebra das pedras, imensos blocos graníticos onde se encontram registros rupestres e que constituem o patrimônio paisagístico-ambiental regional: a única forma de sobrevivência. A solução proposta é retificar a sustentabilidade local, apoiando-se no turismo cultural como ferramenta geradora de recursos financeiros que garantam as satisfações básicas para a sobrevivência e convívio social: alimentação, educação, saúde e saneamento básico. O meio para sua implementação será apoiada na valorização local e na educação patrimonial, representados pela criação e medidas urgenciais, em primeiro plano, representadas por uma forte ação educativa para reconhecimento e valorização do patrimônio, seguida de projetos contínuos relacionados: manutenção e conservação dos sítios arqueológicos já cadastrados e que possam vir a ser localizados na área; projetos socioculturais de integração da comunidade local, com treinamento de guias; incentivo ao desenvolvimento de infraestrutura-básica; melhorias no artesanato local, muito reconhecido regionalmente etc. Finalmente, pretende-se instaurar projeto científico-acadêmico para fortalecimento da pesquisa na área, com fomento ao turismo cultura e a atividade de pesquisa acadêmica, vinculam-se à possibilidade de conservação de uma área de incalculável valor ambiental, cultural e histórico, mas, acima de tudo, de integrar a população, garantindo condições para o desenvolvimento socioeconômico e cultural.

 

PROJETO DE SÍTIO ESCOLA E PESQUISA ARQUEOLÓGICA, NA ÁREA ARQUEOLÓGICA DE PAULO AFONSO, NOS POVOADOS DE RIO DO SAL,  MALHADA GRANDE, , LAGOA DAS PEDRAS E TARÁ, NO MUNÍCIPIO DE PAULO AFONSO, ESTADO DA BAHIA.

 

Drª. Maria Cleonice de Souza Vergne

 

Me. Salomão David Vergne Cardoso

 

Os Povoados de Malhada Grande, Rio do Sal, Lagoa das Pedras e Tará estão localizados na Área do Pediplano Sertanejo, próximos ao Canyon do rio São Francisco, no Sertão Setentrional Baiano.  É considerado uma Áreas Arqueológica, em termos de Sítios de Registros Rupestres, no Nordeste brasileiro, podemos classificá-la como uma paisagem notável tanto em função dos afloramentos graníticos, que lhe dão uma especificidade em relação às áreas circunvizinhas (os chamados tors), assim como, sua flora e fauna típica do bioma da caatinga, fatos que lhe concede o caráter de Patrimônio Paisagístico e Arqueológico. Em busca de perspectivas de criação de Projetos que assegurem a Preservação desses Sítios Arqueológicos, assim como do Patrimônio Paisagístico onde estão inseridos.  Assim, mediante a preocupação com o anterior desaparecimento irreversível deste Patrimônio, fato que ocorreu durante mais de cinco décadas, em função da área ser fonte de matéria prima para o calçamento das zonas urbanas no contexto fronteiriço BA/PE/SE/AL, Devido a esse fato, busca-se ações que não apenas primem pela conservação e preservação, mas também em atuações, que estabeleçam, um contínuo compartilhamento de socialização do saber, partindo da Acadêmia no intuito de englobar os Pesquisadores/Docentes e Discentes, em um contexto de sala de aula, a serem ministradas, nos sítios arqueológicos, primando de forma inequívoca, na sociabilização com a comunidade local, no intuito do desenvolvimento do Princípio do Pertencimento do seu Bem Patrimonial “os Sítios Arqueológicos e Os Bens Naturais”.

 

OLHARES CRUZADOS: HISTÓRIA E CULTURA INDÍGENAS EM CONTEXTOS DE DIÁLOGO INTERÉTNICO. UMA ANÁLISE DOS PATAXÓ DE COROA VERMELHA E TUXÁ DE RODELAS.

 

Dr. Marcos Luciano Lopes Messeder

 

Esta proposta de pesquisa é uma vertente de um projeto mais amplo que é o Observatório de Educação Indígena na Bahia, financiado pela CAPES e coordenado pela professora América César, vinculada ao Programa de Pós-Graduação do Centro de Estudos Afro-Orientais da UFBA. Articula-se com as atividades da Licenciatura Intercultural em Educação Escolar Indígena - LICEEI/UNEB, sob a nossa coordenação. O objetivo fundamental do observatório é levantar indicadores sobre as condições gerais de funcionamento administrativo e pedagógico das escolas indígenas de forma a subsidiar a construção de projetos pedagógicos em diálogo com as demandas das comunidades indígenas nas quais estão inseridas as escolas. As atividades do LICEEI e do Observatório guardam estreita relação com nosso trabalho no âmbito do Departamento de Educação do Campus I da UNEB e do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, no qual temos orientado dissertações sobre a temática da educação diferenciada em comunidades indígenas e quilombolas[1]. Neste sentido, após os levantamentos produzidos pelo observatório, elaboramos o presente projeto que visa investigar as concepções e práticas pedagógicas de professores indígenas e não indígenas no que se refere à implementação da lei 11645/2008. Tal investigação pretende lançar um olhar comparativo em dois contextos interétnicos que têm como característica comum o fato de serem aldeias indígenas situadas em áreas urbanas, portanto, com intenso contato entre a população indígena e não-indígena local. Para tal escolhemos trabalhar com a escola indígena da aldeia de Coroa Vermelha, no município de Santa Cruz Cabrália, sul da Bahia e com a escola indígena Francisco Rodelas, aldeia indígena Tuxá, situada no município de Rodelas, norte da Bahia. Os olhares cruzados do título ampliam esta análise para duas escolas públicas situadas nas áreas urbanas dos mesmos municípios, o Colégio Estadual Dulcina Cruz Lima, em Rodelas e o Colégio Estadual Terezinha Scaramussa, na sede do município de Santa Cruz Cabrália. As questões básicas que orientam a investigação são as seguintes: Quais concepções e práticas pedagógicas organizam a implementação da lei 11645 em escolas indígenas e não-indígenas? Quais são as perspectivas de história e cultura que orientam as práticas pedagógicas de professores indígenas e não indígenas no contexto da pesquisa? Os professores das escolas não-indígenas dialogam com a realidade local de presença de grupos indígenas no contexto em que estão inseridas estas instituições? Que tipo de formação tem os professores indígenas e não indígenas para trabalhar com esta temática?

 

ALFORJES: RESGATE E PRESERVAÇÃO DOCUMENTAL

 

Dr. Moiseis de Oliveira Sampaio

 

O presente projeto visa criar um repositório digital, com documentos históricos provenientes dos arquivos regionais do Sertão da Bahia. Esta iniciativa pretende além de facilitar o acesso aos documentos por parte de pesquisadores de várias áreas das ciências sociais e afins, resgatar a documentação em vias de desaparecimento pelo desgaste natural do papel ao longo do tempo, agravado pelas más condições de armazenamento nos arquivos que, via de regra não possuem estrutura adequada para a manutenção e preservação dos documentos de maneira adequada.

 

UMA ANÁLISE DO PERFIL DAS PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

 

Mariane Martins Campos da Silva  (Pesq. Junior)

Bolsista de IC no OPARÁ/PROAF

 

O presente trabalho é um recorte teórico de uma investigação em andamento em que se discute a importância da formação profissional das professoras na Educação Infantil, buscando analisar o papel profissional e as implicações do perfil docente na formação das crianças desse nível de ensino. Trata-se, portanto, de uma pesquisa de abordagem qualitativa, de natureza exploratória e descritiva, utilizando-se como técnica a observação não participante e a aplicação de questionário semiestruturado como instrumento de coleta de dados, envolvendo professoras do Centro Educacional Municipal de Paulo Afonso-BA (CEMPA) como participantes da pesquisa.

 

PRODUÇÃO DE LITERATURA INDÍGEN INFANTO-JUVENIL: MATERIAL DIDÁTICO PARA TRABALHAR NAS ESCOLAS INDÍGENA

 

Mariane Martins Campos da Silva  (Pesq. Junior)

Bolsista de IC no OPARÁ/PROAF

 

Com base em estudos e discussões sobre a importância da literatura infanto-juvenil como prática pedagógica na escola serão realizadas oficinas de trabalho e estudo na comunidade/escola para elaborar, construir e propor as histórias indígenas, contos, causos, lendas, parlendas, através de dinâmicas lúdicas que estimulem a escrita com base em análise do cotidiano e resgate de memórias indígenas e o material produzido será transformado em material didático.

 

EDUCAÇÃO E LETRAMENTO INTERCULTURAL DO POVO TRUKÁ

Me. Roberto Remígio Florêncio (Doutorando UFBA)

 

Analisa a Educação Escolar Indígena, em seu processo de Letramento Intercultural, na busca pela Autonomia Identitária do Povo Indígena Truká, na Ilha da Assunção, em Cabrobó

 

ETNICIDADE CONTRASTADA: OS IMPACTOS DA RELIGIÃO EVANGÉLICA NO CONTEXTO DAS ETNIAS INDÍGENAS DA REGIÃO DE OIAPOQUE”.

 

Me. Rosilene Cruz de Araújo Tuxá (Doutoranda UNB).

Pesquisadora Indígena

 

A pesquisa visa analisar e compreender a percepção do papel sociocultural, político e religioso dos povos indígenas no contexto das etnias das Terras Indígenas Galibi, Juminã e Uaçá, atentando-se, com isso, para as mencionadas “crises identitárias” e “etnicidades contrastadas” ocasionadas pela relação entre religiosidades cristãs evangélicas e religiosidades tradicionais; produzir um breve histórico sobre a inserção das Igrejas Evangélicas Pentecostais e Neopentecostais nas comunidades indígenas, bem como limites, desafios e consequências encontrados durante esse processo; delinear, por meio de revisão de bibliografia que recobre a relação entre povos indígenas das terras baixas sul-americanas e igrejas evangélicas, um quadro comparativo que auxilie no caso dos povos indígenas do Oiapoque, produzir, via etnografia, alguns exemplos de estudo de casos que evidenciem o envolvimento de determinados indivíduos e de determinadas famílias indígenas da região com a religião evangélica; concomitantemente aos resultados da investigação, propor alternativas para desenvolvimento de projetos de “bem viver” e de autoconsciência da especificidade sociocultural e da valorização identitária.

 

FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS: HISTÓRIA E MEMÓRIA DE DISCENTES DO CLII – UNIFAP

 

Me. Rosilene Cruz de Araújo Tuxá (Doutoranda UNB)

Pesquisadora Indígena

 

Esta proposta de pesquisa interdisciplinar tem por objetivo investigar as experiências educativas na história e memória de professores indígenas em formação e egressos do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena da Universidade Federal do Amapá.

 

HISTÓRIA, MEMORIA E IDENTIDADE ETNICA DO POVO TUXÁ

 

Tayra Vieira Almeida Tuxá

Pesquisadora Indígena)

 

O trabalho pretende fazer uma análise reflexiva da relação entre história, memória e identidade no contexto das identidades de diásporas e analisar os impactos identitários e socioculturais provocados pela divisão do Povo Tuxá em diferentes territórios Tuxá Rodelas/BA, Tuxá Ibotirama/BA, Tuxá/Muquém do São Francisco/BA e Tuxá Banzaê/BA por ocasião da construção da Barragem de Itaparica. Como a dimensão do distanciamento dessas famílias causado  por ressentimentos profundos e permanentes que foram gerados no processo de negociações durante a transferência de território na década de 80 e que são absorvidos pelas gerações subsequentes. (CONCLUÍDA 2018 com capitulo de livro publicado em 2019)

 

ETNOCENOLOGIA VIRTUAL DA APRENDIZAGEM JUVENIL CONTEMPORÂNEA: PERFORMANCES, EXPERIÊNCIAS E MEDIAÇÕES COM DISPOSITIVOS DAS CULTURAS DIGITAIS.

 

Me. Vinicius Silva Santos ( Doutorando UFS)

 

A pesquisa faz parte do  Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe (PPGED/UFS), tendo como objetivo entender como ocorrem os processos de aprendizagens etnocenológicas dos jovens com os dispositivos digitais e como estes redesenham o entendimento sobre o fenômeno da aprendizagem na contemporaneidade, de modo a compreender as mediações juvenis, suas performances, desejos e afetos com a utilização dispositivos das culturas digitais no interstício da etnocenologia virtual da aprendizagem.

 

INTERAÇÃO E APRENDIZAGEM DE CRIANÇAS COM NARRATIVAS E CONTEÚDOS DIGITAIS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO COM CRIANÇAS DE 0 A 12 ANOS DE IDADE E SUA RELAÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL E COGNITIVO 

 

Me. Vinicius Silva Santos ( Doutorando UFS)

 

Esse projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a Interação e aprendizagem de crianças através do contato/manuseio de narrativas e conteúdos digitais, de modo a entender a sua relação com o desenvolvimento psicossocial e cognitivo. O projeto busca mapear os principais conteúdos aos quais são expostos às crianças na faixa-etária entre 0 e 08 anos de idade, levando em consideração os produtos ofertados pela indústria midiática e sua relação com a cada extrato infantil. Ademais, serão observados o cotidiano das crianças, sua relação com os pares adultos, a saber, pais, familiares e pares infantis, com vistas a entender os comportamentos de decorridos do contado com esse tipo de conteúdo, bem como o tempo de imersão, a classificação indicativa para o uso de crianças e sua relação com o desenvolvimento da aprendizagem virtualizada através das TDICS, ainda na infância.

Projetos de Pesquisa

Fale conosco

Opará - Centro de Pesquisa
 

Rua do Bom Conselho, 179

Bairro: CHESF

Vizinho a APAE
oparauneb8@gmail.com

Tel: 75 3281 7356 ou 6585 (Central)

Ramal: 230
 

Por favor preencha o formulário abaixo
e entraremos em contato em breve: